Deslizando pela cidade

Publicado por boaonda em 15 de julho de 2016

3095216157_2cd2b3aa7a_o

Em total sintonia com o concreto das grandes cidades, andar de skate pelas ruas pode ser um exercício e tanto – seja para o corpo ou para a mente. Há alguns anos, a prática da modalidade começou a romper os muros dos guetos e deixou de ser exclusividade dos poucos que mergulhavam de corpo, alma e figurino no estilo adotado pelo mais urbano dos esportes. Pelas cidades do Brasil, é comum encontrar praticantes com os mais variados estilos de vida, entre homens e mulheres. Desta forma, as pistas públicas dos parques e praças foram invadidas, aos poucos, por quem não era da tribo – o que deixou a cena ainda mais divertida e cheia de atitude. A construção de pistas particulares, em locais fechados, ampliou o acesso e facilitou a prática, que ainda é vista como uma alternativa e tanto as tradicionais academias – sempre lotadas de gente e com músicas nas alturas.

Com origem na Caifórnia, o esporte chegou ao país nos anos 60 e logo caiu no gosto dos surfistas locais – acostumados a manter o equilíbrio em cima de uma prancha e em busca de um pouco mais de adrenalina. O sucesso foi tão grande que, já na década seguinte, uma cena começava a se desenvolver com competições e circuitos construídos em várias cidades brasileiras. Aliás, o país tem tradição em exportar atletas de elite, a maioria com contratos milionários que ultrapassam o limite das pistas. O nome mais conhecido, sem dúvidas, é Bob Burnquist, carioca de 39 anos que ostenta o título de skatista mais premiado do mundo. Para se ter uma ideia de sua importância, somente nos “X Games”, evento esportivo considerado a Olimpíada dos esportes radicais, já conquistou mais de dez medalhas de ouro – cinco delas na megarrampa, estrutura com mais de 30 metros de altura.

Para se divertir em meio a rotina atribulada ou realizar um exercício ao ar livre, uma coisa e certa: as grandes cidades estão cheias de skatistas amadores, a maioria admiradora do lifestyle que envolve o esporte. Sim, é impossível separar a prática da moda streetwear e da batida do hip hop. Com tanta popularidade, é natural que a onda tenha chamado a atenção da indústria fashion. No princípio restrita a algumas poucas marcas que fabricavam roupas, tênis e acessórios com inspiração na modalidade, a moda ganha espaço a cada dia e influencia os artigos de grifes como Prada, Gucci e Chanel. Além do asfalto das ruas, os praticantes do esporte ainda encontram um novo local para deslizar por aí: espaços descolados com pistas inspiradas nas chamadas “bowls californianas” – em formato de piscina com bordas altas e profundidade de mais de três metros de altura. Com jeito de balada, as casas chamam a atenção por oferecer atrações para toda a família – e com uma vibração especial.

DSCN1773

Os melhores picos

São Paulo/SP
Parque do Ibirapuera
Praça Roosevelt
Parque da Independência

Rio de Janeiro/RJ
Lagoa Rodrigo de Freitas
Parque Madureira
Praia do Arpoador

Curitiba/PR
Parque Barigui
Parque São Lourenço

Belo Horizonte/MG
Parque das Mangabeiras
Lagoa da Pampulha

Porto Alegre/RS
Parque Moinhos de Vento
Parque Marinha do Brasil


Comentários

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

(Não será publicado)